BLING RING: A GANGUE DE HOLLYWOOD, POR NANCY JO SALES

quarta-feira, 4 de setembro de 2013


O que você faria se, de repente, estivesse envolvido com o roubo de celebridades? E qual seria sua reação se você fosse a celebridade roubada? Mais de três milhões de dólares em objetos roubados, acusações que varias e um até oito crimes e o consumo excessivo de drogas é o que Nacy Jo Sales nos apresenta em "Bling Ring: A Gangue de Hollywood". O mais extravagante nessa história é que tudo aconteceu e que a Bling Ring realmente foi uma ameaça para essas celebridades.
O projeto do livro já havia sido, de certa forma, colocado em prática quando os roubos aconteceram. Nancy entrevistou os jovens, seus advogados e pessoas próximas para o artigo da revista "Vanity Fair", que ficou conhecido como "The Suspects Wore Loubotins". Ela tenta mostrar a lógica por trás dos crimes e o que cada um dos envolvidos pensava sobre o assunto. Obviamente, nem todos estavam dispostos a participar.
Com produção cinematográfica já lançada, Bling Ring é um sucesso impresso e cinematográfico. A adaptação, que conta com um elenco recheado de novos rostos também nos apresenta a querida Emma Watson no papel de Nicki Moore, personagem que representa Alexis Neiers, uma das integrantes do grupo e a mais famosa entre eles.
O livro, dividido em três partes, faz uma transição natural entre um roubo e outro. Não é uma história que mostra o quão horríveis eles foram. Nancy conta todo o processo de criação da matéria, as coisas que ela presenciou e o que os integrantes e as vítimas passaram no decorrer dessa história. Um dos únicos problemas é que a autora acaba humanizando Nick Prugo, um dos participantes originais da gangue e que ficou conhecido por dar as informações para as autoridades. Sua participação nos crimes não é menor por ele dizer que se arrepende, que estava fazendo aquilo porque amava a melhor amiga ou porque ele revelou o que havia acontecido e devolveu tudo que estava em sua posse. Obviamente, por passar grande parte do livro vendo as coisas pelo seu ponto de vista, Nancy desenvolveu uma relação diferenciada com ele. Enquanto Alexis, que alega não ter participação na história, sentiu-se ofendida por ter passado tanto tempo com a jornalista e acabar sendo prejudicada no artigo, Nick pareceu sair "ileso" nesta primeira versão.
O livro e sua adaptação são ótimas escolhas para quem quer uma experiência real sobre o julgamento de um crime e uma boa escolha para os que gostam de aprender sobre comportamento criminoso ou obsessão por celebridades.

LOVING THE BAND, POR EMILY BAKER

segunda-feira, 5 de agosto de 2013


O que você faria se entrasse na vida da boy band mais comentada do momento? Não sabe nem por onde começar ou acha isso impossível? No mundo de "Loving The Band", Jess e sua melhor amiga Tegan acabaram entrando na vida da The Only Truth, a boy band mais badalada do momento. Tegan, a fã de carteirinha, fica louca e no começo nem consegue acreditar no que está acontecendo. Jess, que nem conhecia os garotos direito acaba se envolvendo na maior confusão ao se ver em um triângulo amoroso entre dois garotos da banda.
Loving The Band, publicado no exterior pela Penguin Books, na verdade surgiu como uma fanfiction de One Direction, publicada na internet. Depois de atingir mais de trinta mil (isso mesmo!) leitores ao redor do mundo, Emily vendeu os direitos de publicação de sua história, fez algumas alterações na história e então sua história foi publicada. Admito que eu estava mais do que ansioso para ler o livro, (Vamos desconsiderar que adoro One Direction!) mas a decepção foi tão grande quanto minha vontade de ler. A autora, que só tem dezesseis anos, escreveu a história certa, da maneira errada. O envolvimento das personagens era bobo, não existiu aquele fator que me deixou ligado na história e o triângulo amoroso era muito bobo.
Outro dos problemas é que Emily segue todos os esteriótipos já colocados em One Direction, mudando somente as características físicas dos garotos da banda. Desse jeito, ficou fácil de entender quem era quem. O triângulo de Jessica Wright é formado por ela, Riley (Harry Styles, sem dúvida) e Shaq (Zayn Malik. Por favor, já dá pra perceber só pelo nome!), o que não é surpreendente, já que os dois são os mais queridinhos da banda. Já Tegan se interessa por Callum (Niall Horan), enquanto Tyler (Liam Payne) e Logan (Louis Tomlinson) fazem aparições raras e sem muita importância.
Jessica segue a fórmula Bella Swan de "garota linda que se acha feia e sem graça" e que obviamente atrai o olhar dos garotos mais lindos da trama. Jess não é uma personagem complicada, já que segue uma linha neutra para que as garotas possam se identificar. Tegan é mais engraçadinha e bem humorada, seguindo o perfil de melhor amiga coadjuvante dessas histórias. O drama está na escolha da protagonista, que permanece indecisa a maior parte do tempo.
Loving The Band é aquela leitura leve, descontraída de uma manhã, tarde ou noite chatinha. Não crie expectativas com a história ou com a escrita de Emily para não se desapontar. Outra coisa: Não vá achando que vai ver uma super participação da boy band, porque <3 Louis <3 e Liam foram deixados no escanteio. Não rolou nem uma letrinha de música pra curtir mais a história!

PRINCE OF THORNS SERÁ PUBLICADO NO BRASIL (E UMA BREVE EXPLICAÇÃO)

sábado, 3 de agosto de 2013

Olá, leitores!

Como vocês devem ter percebido, o blog passou por um hiatus nas últimas semanas. Isso tudo aconteceu por loucuras da faculdade, falta de tempo e um probleminha que tive com o computador. A parte boa de tudo isso é que agora estou de volta e darei a devida atenção que o blog merece. Agora, sem mais delongas, vamos as novidades:

"PRINCE OF THORNS" Chega ao Brasil com publicação pela Darkside!


A editora Darkside Books, pioneira no Brasil por se dedicar exclusivamente a publicação de fantasia e terror, adiciona ao seu catálogo A Trilogia dos Espinhos. "Prince of Thorns", o primeiro volume da saga, chega ao Brasil no dia 20 de setembro. Além disso, a trilogia escrita por Mark Lawrence é considerada a fantasia Dark mais celebrada da década. A editora promete que o livro será publicado em edição primorosa e capa dura.

Mark Lawrence, o autor, é um cientista que trabalha com o desenvolvimento de inteligência artificial, e tem acesso liberado à informações secretas dos governos norte-americano e britânico. Prince of Thorns é seu aclamado livro de estreia. “King of Thorns” e “Emperor of Thorns” completam a Trilogia dos Espinhos.

Sobre o Livro:
Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família nem fugir do horror. Jogado à própria sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma.

O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.

Para mais informações é possível acessar o site da Darkside clicando AQUI. O que eu posso dizer para vocês é que #EuQuero.

THE SELECTION #2: A ELITE, POR KIERA CASS

domingo, 30 de junho de 2013


No segundo volume da trilogia de "The Selection", continuamos acompanhando a trajetória de America e seu coração dividido entre Maxon e Aspen. Com um número reduzido de princesas, A Seleção agora é A Elite, composta pelas seis garotas que mais destacaram-se aos olhos do príncipe (e de seu pai). Diferente de A Seleção, em "A Elite" Kiera Cass apostou em um clima mais apocalíptico, várias invasões e muito drama envolvendo America e seu coração. Enquanto Aspen é seu primeiro amor e tenta convencê-la de que o príncipe não é o homem certo para ela, Maxon lhe dá liberdade para escolher, mesmo não sabendo o que está acontecendo. Enquanto America diz que ainda precisa de tempo para amar o príncipe, ela encontra-se perdida ao vê-lo relacionando com as outras princesas e acaba desenvolvendo ciúmes por alguém, que em teoria, ela não ama.
A Elite tem um clima mais pesado, caótico. As invasões agora são frequentes e tornam-se ameaçadoras. Enquanto A Seleção tenta mostrar o lado glamouroso de estar em um palácio, frequentar o mesmo lugar que a realeza, A Elite é mais sombrio, mostra as falhas do reino. Agora as selecionadas precisam realizar tarefas mais complicadas, mostrar que mereciam ser a Princesa de Illéa. Existe uma participação maior da rainha, e o rei mostra suas garras (Que antes só era mostrado em O Príncipe).
Uma das características que torna o livro interessante é o afeto que Maxon sente por America. Diferente de Aspen, que precisa ter America com ele e não está disposto a desistir, Maxon tenta conciliar as coisas para ela. Ele sabe da necessidade do dinheiro para a família da garota, então faz questão de mantê-la ali o mais tempo possível. Mesmo assim, ainda existe uma faísca de paixão entre os dois. Por mais que America mude sua decisão diversas vezes durante o livro, é notável que seus sentimentos pelo Príncipe são fortes. Diferente de Aspen, que é um tipo de protetor, Maxon torna-se uma pessoa especial para America, e onde antes ela via uma maneira de ajudar sua família, acaba encontrando muito mais.
Com a dose certa de drama e até alguns momentos de raiva, A Elite repete a fórmula de A Seleção e acerta mais uma vez. Fico me perguntando qual a opinião de Kiera Cass em relação aos pretendentes de America. O título do último livro já foi divulgado. "The One", ainda sem nome em Português tem previsão de lançamento somente em 2014, mas Kiera prometeu aos fãs da série muitas novidades durante esse período. A pergunta que não quer calar: The One se refere a Selecionada ou ao "Um" do coração de America? Isso nós teremos que esperar para ver.

THE SELECTION #1,5: O PRÍNCIPE, POR KIERA CASS

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O que aconteceria se você vivesse 300 anos no futuro e, de repente, uma Seleção em busca da próxima princesa de seu país mudasse sua vida? No mundo criado por Kiera Cass, isso acontece. Através de "A Seleção" conhecemos America Singer, uma garota de casta Cinco, composta por artistas. Vocês podem conferir a resenha completa desse livro clicando aqui. Em "O Príncipe" somos apresentados ao mundo de Maxon, o príncipe de Illéa. Através de 72 páginas, Kiera Cass nos mostra parte da história desse príncipe e todo o processo para que ocorra A Seleção.
Como era de se esperar, nem tudo o que vemos no primeiro livro é verdade. Através deste conto de The Selection conseguimos entender um pouco mais sobre o processo que leva a competição e o que se passa na cabeça de Maxon. A história tem início no mesmo período que o primeiro livro, o que considero um ponto positivo. Se em A Seleção vimos America e seus dramas familiares e turbulências em seu relacionamento secreto, em O Príncipe vemos Maxon lidar com a pressão de sua família, uma crise com a melhor - e única - amiga e como realmente funciona a Seleção.
Mesmo tendo adorado o livro, não consegui me apegar ao Príncipe da forma que esperava. Depois do fim fiquei imaginando seus outros pensamentos, o que estava acontecendo com ele e as coisas que ele passava com as outras princesas. 72 páginas não eram o suficiente. Obviamente o livro ajuda na compreensão do que está acontecendo, os segredos da família Real e todo o processo injusto que se forma ao longo dessa competição que parece tão correta para os habitantes de Illéa.
Na tentativa de conhecer mais essa história, acabei me frustrando. O ponto de vista de Maxon é infinitamente mais interessante que o de America, que passa pelo drama de estar com seu coração dividido. Ele está treinando para ser o próximo governante de seu país e, para isso, busca uma princesa que seja adequada. Mesmo sendo ótimo, O Príncipe me desapontou em vários aspectos, sendo o principal deles o desperdício em não contar toda a história na visão de Maxon. Torço para que Kiera Cass resolva publicar toda essa história no olhar do futuro Rei de Illéa.

THE SELECTION #1: A SELEÇÃO POR KIERA CASS

quinta-feira, 23 de maio de 2013


Você já imaginou como seria o mundo no futuro? E o que aconteceria se, de repente, você tivesse a chance de disputar pelo coração de um príncipe? America Singer passa por isso e, pelo menos por um tempo, ela odiou cada segundo disso tudo.
A Seleção, da autora Kiera Cass é uma fórmula pronta. The Hunger Games + The Bachelor* edição especial Disney. O ponto positivo é: Kiera consegue colocar as coisas de um jeito interessante e que acaba conquistando o leitor. A história, que não parece muito original durante os primeiros capítulos, acaba desenvolvendo características que enriquecem a história e a tornam, de certa forma, única.
No mundo de "A Seleção" todos vivem 300 anos no futuro em um país chamado Illéa, que surgiu após a 4ª Guerra Mundial. Desde então, todos são divididos em castas (alguém aí disse distritos?) e possuem funções específicas. A tal Seleção não é um processo anual e nem um jogo mortal entre garotas. Na verdade, é uma tradição do país que acontece toda vez que um príncipe atinge maioridade. Esse processo todo ocorre através de inscrições de garotas de todas as castas, que podem ser selecionadas para o palácio. Não é uma tarefa obrigatória, mas que garota ia recusar a realeza? Claro que a nossa protagonista.
America é uma cinco e namora um seis. O relacionamento é secreto e a mãe de America deseja que a filha participe da Seleção. Depois de um drama envolvendo o relacionamento atual e os desejos de vida de America, ela decide participar desse processo, jurando que não vai ser escolhida. Óbvio que tudo o que ela menos queria acontece e ela acaba indo para o palácio como uma das Selecionadas. Ela e outras 34 garotas tem que disputar pelo amor de Maxon, o príncipe através de encontros com o mesmo. O futuro rei é quem escolhe quem será sua esposa.
Sabe aquele livro que você lê meio sem importância e acaba se admirando? Foi a sensação de A Seleção. Eu fiquei vendo algumas coisas sobre o livro antes de comprar. Não é aquela história ótima, cheia de mistérios, drama e com uma linguagem complicada e culta. É um livro bem teenie e é ótimo pra passar o tempo. Cinco estrelas porque acabei me surpreendendo e não consegui parar de ler até terminar A Elite, que terá resenha aqui no blog em breve. Se você procura uma leitura rápida, despreocupada e com um romance (e até um pouco de drama!) A Seleção é o livro que você está procurando.

JÁ PODE SURTAR: SAIU PÔSTER DE CIDADE DOS OSSOS!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O filme só vai estrear em Agosto (coloquei "só" porque a espera parece I N T E R M I N Á V E L), mas recentemente foi liberado um novo pôster do primeiro filme da saga The Mortal Instruments, publicada aqui no Brasil pela Galera Record! Nessa nova imagem, podemos ver Valentim (Valentine para os que estão acompanhando a série no idioma original) sozinho, com os seguintes dizeres:

Um instrumento de maldade. DESTRUIDOR.

Nessa loucura toda de divulgação do filme e uma espera que parece não ter fim, é bom ver que não estamos sendo torturados sem novidades! Vocês podem conferir abaixo o pôster novinho em folha e também o trailer do filme, para os que não estão familiarizados com a história de Clarissa Fray.


E aí Leitores, estão ansiosos para o filme? Deixem suas opiniões abaixo!
Blog contents © Leitor Informal 2012. Blogger Theme by Nymphont.