A CULPA É DAS ESTRELAS POR JOHN GREEN

segunda-feira, 13 de maio de 2013













A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.
Como descrever em poucos parágrafos uma sensação interminável? Horas de risadas, choro e insatisfação. John Green cria um universo único em que todas as coisas te levam para uma direção e acabam lhe dando um soco na barriga ao chegar nos "finalmentes". A Culpa é das Estrelas parece aqueles livros que se ama ou se odeia, não existindo um ponto comum. Engraçado mesmo é odiar e amar a obra ao mesmo tempo. Amar o fato de ter lido e odiar ter visto o fim da história.
Hazel Grace, a protagonista, não é a personagem mais intrigante ou interessante da trama. Augustus é muito mais... surreal. Suas metáforas intermináveis, o espírito sonhador e sua sagacidade acabam atraindo o leitor. Não somente ele, mas também Hazel. A garota, que ao contrário de "Gus", parece completamente real e acaba sendo a companhia perfeita para os que procuram alguém para se relacionar. Se você, como ela, adora maratonas de America's Next Top Model e algumas vezes simplesmente não sente vontade de viver por um dia, Hazel é sua personalidade ideal.
Claro que os dramas adolescentes não são tudo na história. Como portadores de câncer,  a trama também mostra os problemas que esses jovens enfrentam. O mais interessante é ver que nada disso os impede de viver ou continuar em frente: Cada dia é uma luta, mas nem por isso essas pessoas devem desistir. Esse livro não é uma autoajuda. Na verdade, os focos de humor se relacionam a doença. Muitos desses momentos são piadas contadas sobre os jovens que possuem a doença.
É pra rir, chorar, pedir mais e passar por um bocado. Ao ler "A Culpa é das Estrelas" você se transporta para um universo brutalmente real e interessante, onde todas as palavras carregam um significado, mesmo que acabem passando desapercebidos. Uma leitura rápida, muitas lágrimas e uma raiva por saber que John Green acaba te conquistando de uma maneira tão atrativa que você acaba não percebendo. PS: Leve uma caixinha de lenços para a leitura.

0 comentários:

Postar um comentário

Blog contents © Leitor Informal 2012. Blogger Theme by Nymphont.